ATUALIZAÇÕES CIENTÍFICAS




DIAGNOSTICO DA HEPATITE C – Recomendações OMS

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), em recente publicação de abril de 2014, cerca de 185 milhões de pessoas em todo o mundo estão infectadas com o vitus da Hepatite C(HCV). A Hepatite C é causada por um pequeno RNA-vírus da família Flaviviridae e que possui um genoma muito variável com vários genótipos. A doença pode ter um curso silencioso e muitos indivíduos desconhecem ser portadores do vírus, evoluindo para a cronicidade(55-85%) com cirrose e carcinoma hepatocelular.
Os profissionais da saúde devem estar alertas quanto ao diagnóstico adequado para que mais pessoas possam se beneficiar do tratamento bem sucedido.

População de risco
A OMS considera a necessidade de se fazer uma ampla testagem na população quando os índices de prevalência são desconhecidos. Há que se considerar o custos para este levantamento. No entanto, alguns indivíduos podem apresentar maior risco pela possível exposição ao vírus: politransfundidos,renais crônicos em diálise,usuários de drogas injetáveis ou intra-nasais, aqueles que realizaram tatuagens ou colocação de piercing,parceiros de pessoas infectadas com o HIV e recém—nascidos de mães portadoras do vírus C( estimado risco em 4-8%, que é inferior ao risco de mães portadoras do HIV,17ª25%.
O screening para o HCV
Geralmente, os indivíduos em risco para o HCV também estão em risco para outros vírus como o da Hepatite (HBV) e o HIV e devem ser testados simultaneamente.Além destes, recomenda-se a pesquisa de tuberculose, principalmente na população carcerária.
As etapas para o diagnóstico incluem:
1 – Testes sorológicos
2 – Testes moleculares (NAT)
3 – Se positivos, carga viral e genótipo .
O screening para o HCV
Geralmente, os indivíduos em risco para o HCV também estão em risco para outros vírus como o da Hepatite (HBV) e o HIV e devem ser testados simultaneamente.Além destes, recomenda-se a pesquisa de tuberculose, principalmente na população carcerária.
As etapas para o diagnóstico incluem:
1 – Testes sorológicos
2 – Testes moleculares (NAT)
3 – Se positivos, carga viral e genótipo .
Teste Sorológico

 

  • São imunoensaios para detecção de anticorpos contra o HCV,
  • Não são capazes de identificar se a infecção é aguda, crônica ou curada.
  • Estão sujeitos a falso positivo, dependendo da prevalência da infecção na população
  • Quando os testes são negativos em indivíduos expostos ao risco, devem ser repetidos em 30-60 dias. Anti-HCV é detectável en 70-80% dos pacientes no início dos sintomas e em 90% dentro de 3 meses.
  • Resultados repetidamente positivos em imunoensaios devem ser confirmados por testes moleculares que detectam o RNA viral.
  • Em crianças com menos de 1 ano não se deve realizar a pesquisa de anti-HCV, se necessário realizar o teste de PCR. O sangue de cordão nunca deve ser utilizado no screening, devido à transferência passiva de anticorpos maternos.
Teste Moleculares
O RNA viral é detectável no soro ou plasma em 1 semana após exposição e é o marcador mais confiável e padrão ouro para o diagnóstico da infecção ativa pelo HCV.
Os testes de ácidos nucléicos(NATs) usados na rotina baseiam-se em técnicas de PCR e podem ser qualitativos ou quantitativos. Inicialmente deve-se usar a técnica qualitativa. A figura 01 mostra que o teste molecular cai em sensibilidade `a medida que os anticorpos circulantes são detectados.
Genotipagem
Devido a existência de genótipos diferentes, a OMS sugere a determinação deste para avaliar a efetividade e duração do tratamento com o medicamento mais indicado.
No caso do genótipo 1 A, realizar a pesquisa da mutação Q80k.
A seguir um quadro resumido.
HCV- Sumário de recomendações(Guidelines OMS)
1 – Screening para identificar pessoas com infecção pelo
HCV: Indicar a sorologia para HCV em pessoas que pertencem a uma população com alta prevalência ou que possuem um histórico de risco de exposição ao vírus(recomendação forte moderada qualidade de evidência).2 – Quando confirmar o diagnóstico da infecção crônica pelo HCV:Sugere-se o NAT para detectar o RNA em seguida a testes sorológicos repetidamente positivos, para avaliar o início do tratamento (Recomendaço condicional,baixa qualidade de evidência).

 

Recomendamos ainda a leitura do suplemento . Hepatites virais: o Brasil está atento/Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica
Lucimar G. S. Assunção 
Assessoria Médica Lab Rede

www.laboratoriosaopaulo.com.br


Mostrando 1 - 8. Total de 8 em 1 página(s).


AV.MUNICIPAL, 1182 - SALA 1 - CENTRO

FONE / FAX (48) 3525-0175


Copyright 2015 - Todos os direitos reservados - Santa Maria